quinta-feira, 8 de outubro de 2015

E agora, JOSÉ?

E agora, José?
A farsa acabou,
Youssef lhe entregou,
A casa caiu.
A boca esquentou.
E agora, JOSÉ?

E agora, você?
Você que é do DEMO,
DEMO de DEMÓSTENES
Do DEMO de Arruda,
Será que a Papuda,
Já lhe espera, JOSÉ?

Tá sem Istoé,
Sem Veja e sem Globo,
Com cara de bobo,
Já não pode correr,
Já não tem Gilmar
Que lhe tire das cordas
Yussef mandou
Você embolsou
A grana que veio
Três milhões, JOSÉ
Quanta hipocrisia...

Cachoeira secou,
Aécio fugiu,
Barroso pegou-lhe
E agora, JOSÉ?

E agora, JOSÉ?
Suas podres palavras,
Dedo duro e mão mole,
Sua boca de fole,
Voz de Papacum,
A piteira de ouro,
O telhado de vidro
Sua incoerência,
Seu ódio – E agora?

Quebrou a São João,
O BDRN,
Quebrou o BANDERN
E o RABO DE PALHA
No fogo queimou...

Quer ir para Minas
Mas lá é PT,
JOSÉ. E agora?

Se você acusasse
Tanto nas tribunas
E no ARENA DAS DUNAS
Você não roubasse;
Se você mentisse
Porém disfarçasse
Mas você acusa
E faz muito pior
Você é doido, JOSÉ?

Inspeção veicular
Já não dá milhões
Chegou a agonia
O rei está nu...

Não vai escapar.
Não fuja a galope
Que em vez do IBOPE
O BOPE lhe espera,
JOSÉ.
E você vai pra onde?