quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Agora é oficial: FHC sabia de tudo e não fez nada

Ao registrar em seu livro de memórias a confissão de que tinha todos os meios para investigar um esquema de corrupção na direção da Petrobras e não tomou nenhuma providência a respeito, Fernando Henrique Cardoso prestou um inestimável serviço ao país. Embora o caso possivelmente possa ser considerado prescrito, se tivesse sido descoberto e denunciado durante seu mandato, entre 1995 e 2002, o então presidente poderia ter sido enquadrado no crime de prevaricação, tipificado no artigo 319 do Código Penal ("Retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal"). Neste artigo, Paulo Moreira Leite lembra que: Se fosse um funcionário público comum, uma condenação poderia dar em pena de prisão, de três meses a um ano, mais multa. Como era presidente da República, FHC poderia ser alvo de um processo que poderia levar ao impeachment. Mais fácil que o penoso trabalho de Hélio Bicudo e Miguel Reale Jr. Imaginou? Para além de eventuais consequências jurídicas, resta a questão política atual. Informado pelo empresário Benjamin Steinbruch sobre quem comandava o esquema na maior empresa brasileira, Fernando Henrique nada fez. Isso permite questionar a credibilidade de quem, no início de 2015, enchia o peito para falar da Lava Jato. FHC disse no início do ano que era preciso chegar aos "altos hierarcas" envolvidos nas investigações, numa referência a Lula e Dilma. Mas quando podia fazer sua parte, Fernando Henrique preferiu ficar quieto. "Por que FHC cruzou os braços?", perguntei aqui neste espaço, em fevereiro, num texto que debatia o silêncio tucano sobre uma denúncia de Paulo Francis, em 1996. Agora sabemos por que. Conforme O Globo, Fernando Henrique tenta justificar a postura com o argumento de que pretendia fazer mudanças nas regras da Petrobras e não queria atrapalhar um debate que julgava necessário. Como se sabe, seu governo que tomou medidas favoráveis a privatização da exploração do petróleo, enfrentando uma vigorosa greve de resistência de petroleiros que não permitiu que fosse até o fim em seus planos. Até tanques do Exército foram a rua para tentar intimidar os petroleiros. Mas o argumento não ajuda o ex-presidente. Vejamos nas Notas curtas:

FHC acabou as licitações
FHC assinou, no Planalto, o decreto 2745, que eliminou a necessidade de licitação nos investimentos da Petrobras, uma porteira aberta para a formação do clube de empreiteiras que iria dividir as obras da empresa em conversas entre amigos, sem disputa real.

Gilmar na bandalheira
O decreto 2745 é obra da assessoria jurídica do Planalto no governo de Fernando Henrique, cujo chefe era Gilmar Mendes, mandado ao Supremo no último ano de governo tucano. Hoje no TSE, Gilmar foi o ministro que mandou investigar possíveis ligações entre o esquema da Petrobras e a campanha de Dilma, abrindo ali uma das estradas da oposição para tentar chegar ao impeachment de qualquer maneira. É até gozado, não?

Moral de ocasião
O que se expressou, na atitude de FHC,  foi  uma  moral de ocasião, de quem desperdiçou uma ótima oportunidade para estimular um debate honesto sobre a corrupção no Estado brasileiro. Comprova-se, agora, que ele não só conheceu a situação de perto durante seu governo. Tinha informações de primeira mão. Também tomou a decisão de não investigar. É uma postura que, pelo exemplo, só ajuda a desmoralizar gravatões tucanos que estimulavam atitudes fascistas nas diversas CPIs da Petrobras.

Ratos no plenário
Não custa lembrar que o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, abriu seu depoimento na CPI com um power point didático, onde exibia as quantias que cada partido, PT e PSDB à frente, havia recebido de cada uma das grandes empreiteiras denunciadas na Lava Jato. No mesmo dia, o líder do PSDB Carlos Sampaio defendeu a extinção legal do PT, logo depois que um provocador soltou um grupo de ratos na sala de depoimentos. Vaccari foi preso no dia seguinte pela manhã e encontra-se detido até hoje.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Moralistas sem moral

01
Tem um Cunha achacador,
Mais um Serra privateiro,
Um cheirador bravateiro,
Um Neymar sonegador,
Agripino, um coletor
De propina de quintal,
Datena, Jabor, Merval...
Essa cruel legião,
Dilma chamou com razão
MORALISTAS SEM MORAL
   
02
Bolsonaro, um nazistoide,
Estúpido e provocador,
Homofóbico, estuprador,
Um grande bostiocroide...
João Dória metido a Lloyd
Nunca caiu na real,
Malafaia um marginal
Vendendo Cristo a varejo,
Nesta cambada eu só vejo
MORALISTAS SEM MORAL
   
03
Doutora Míriam Porcão,
Gentille sem gentileza,
Alexandre sem grandeza
E Arnaldo JaBORRÃO,
Tem Ana Brega e Faustão,
Waack e Bonner global,
Na escória do jornal
Lauro Jardim segue impune
Diabo espalha e mídia une
MORALISTAS SEM MORAL
   
04
FHC do Apagão
Que tem a boca godê,
Fez o PSDB
Para vender a nação...
Comprou a reeleição,
Tentou vender o pré-Sal,
Lambe-chão de general
Atrás de golpes e engodos
Chefe da gangue de todos
MORALISTAS SEM MORAL
   
05
Imbassahy dos milhões
Do Metrô de salvador,
Flexa Ribeiro, impostor
Que fraudou licitações,
Aloysio Palavrões
Contra blogueiro e jornal,
Das fazendas de um real
E Caiado, escravocrata...
Cretinos, reis da bravata,
MORALISTAS SEM MORAL

06
Lobão Bobão delirante,
Fábio Júnior, o canastrão;
Um tal Caio Castração
E Roger, o Ultrajante;
José Mayer, o bandeirante
Queima o símbolo nacional
E a senhora feudal
Regina Medo Duarte
Confundem fascismo e arte,
MORALISTAS SEM MORAL
   
07
Quem financia o Cunhão
Será empresário sério?
A Líder Taxi Aéreo
Corumbá Mineração,
Iguatemi, Bradescão,
Coca e Rima Industrial,
Santander e Pontual
São, além de exploradores
E grandes sonegadores
MORALISTAS SEM MORAL
   
08
Playboy de Copacabana
Senador falso e sem brio
Trocou Minas pelo Rio,
Bate em mulher, bebe cana,
Pras próprias rádios deu grana,
Voador oficial,
Cheira bem e fede mal
É doido por microfones
E é rei dos brancaleones,
MORALISTAS SEM MORAL
   
09
Um Cunha desacunhado,
Por quem não tem mais quem torça,
Um Paulinho que com Força
Forçou cofre, é processado
Um Cassio que é caçado,
Mendoncinha um imoral
Com cara de canibal...
Esses pirros sem vitória
Serão pra os anais da História
MORALISTAS SEM MORAL
   
10
Golpistas da bandalheira,
Reis do achaque e das mutretas,
Um paiol de picaretas
Larápios de fim de feira
Desses que batem a carteira
E chamam o policial...
A alma nacional
Não aceita rebordosas
De tantas almas sebosas,
MORALISTAS SEM MORAL

FotoLegenda


terça-feira, 13 de outubro de 2015

Um Brasil criança na alegria de se abraçar...

Com certeza milhões de brasileiros lembram o jingle da campanha de 2002, “Lula lá, o Brasil Criança/ Na alegria de se abraçar...”. Valeu a pena? Os fatos dizem que sim. Com certeza milhões de crianças brasileiras não sabem que as pedaladas fiscais tão badaladas na semana em que se comemora o seu dia, existiram para lhes garantir alguns programas sociais básicos que muita serventia tem para elas. O principal destes programas é o Bolsa Família quase sempre tratado como “Bolsa Esmola” pela mesma oposição que, às vésperaa das eleições tem o cinismo de dizer que vai mantê-lo e melhorá-lo, se ganhar nas urnas. Este programa tão amaldiçoado pelos inimigos do povo beneficia cerca de 40 milhões de brasileiros, dos quais, pelos menos trinta milhões são crianças e adolescentes. Mesmo sendo tratado com algo inútil, dinheiro jogado fora, já tirou o Brasil do Mapa da Fome, leva milhões de crianças a se manterem na escola e frequentarem uma média superior a 96% das aulas, quando a obrigatoriedade é de 92%. É o Bolsa família, elevando para no mínimo 1 dólar por pessoa, por dia, nas famílias de menor renda no País, que diminuiu a Mortalidade Infantil De 26,04 crianças mortas entre cada mil nascidas vivas em 2002, último ano de governo de FHC para 14,40 em 2014, com projeção de 13, 82 para 2015. O PT derrubou a mortalidade infantil pela metade. O Brasil Carinhoso, uma derivação do Bolsa Família focou mais ainda nos primeiros anos de vida a presença governamental, deixando-nos a certeza de que nos próximos anos a Mortalidade Infantil vai cair em ritmo mais acelerado. Outro grande legado do PT no Dia das Crianças: Nenhuma criança ou adolescente pedindo esmolas nas ruas do brasil ou em trabalhos forçados. melhor dizendo, em trabalho algum. lugar de criança é na escola... ou brincando, porque para criança brincadeira é coisa séria. A comemorar no Dia das Crianças de 2015, temos também o fato de que Lula e Dilma, ao distribuirem cerca de 70 mil ônibus escolares criaram a primeira geração de crianças rurais que não sabe o que é "pau-de-arara” para ir à escola. Valeu a pena, sim, porque comrpovadamente temos primeira geração de brasileirinhos que, graças ao Programa "LUZ PARA TODOS", não conhece o candeeiro que iluminava com luz turva e tufos de fumaça a vida rural brasileira. Forte foi a emoção de uma senhora que disse certa vez ao deputado Fernando Mineiro que nunca tinha visto os filhos dormindo... Estamos vivendo uma das maiores secas da história do Nordeste brasileiro. Na seca de 1979 a 1983 estima-se que morriam mais de duzentas crianças por dia nos momentos mais agudos. Ainda vivíamos o atraso secular dos “anjinhos” que os pais acreditavam que Deus chamava, mas era o diabo quem mandava na Terra do Sol. E estes pais iam para as frentes de emergência, ser chamados de “cassacos” receber uma esmola que viciava e matava de vergonha o cidadão”. Entre todos, o maior legado dos anos “terríveis” do PT, dos anos onde a mídia e a oposição ladina e ladrona só vê mar de lama e bandalheira, é um legado de carne, osso e sorriso, é um legado que anteontem, Dia das Cranças e hoje, assim como será amanhã, está vivo e pula e brinca: É a primeira geração de crianças brasileiras que não conhece a fome. O PT acabou com o fantasma do que preconizou Josué de Castro: “Um mundo onde metade da humanidade não dormiria por estar com fome e a outra metade com medo da que tem fome”. Hoje vivenciamos  e sofremos a violência de uma geração que foi criança num tempo em que a construção de presídios era muito mais importante que a construção de escolas... E que as crianças tinham fome e sede, e cresceram com fome e sede de Justiça... De fazer Justiça com as próprias mãos.

Interditado
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), "está moralmente interditado para tomar qualquer decisão que afete a sociedade", escreve Paulo Nogueira, do Diário do Centro do Mundo. Na opinião do jornalista, o deputado, investigado na Suíça por corrupção e apontado como dono de contas secretas no país, não tem sequer condições psíquicas para julgar o que deve fazer ou não".

Vergonha
"Um país inteiro não pode ficar à mercê de um homem que, pelo menos momentaneamente, perdeu a razão e busca não a Justiça, mas arrastar outros em sua queda vergonhosa por ódio e vingança", diz Nogueira.

Impedido
O STF cortou o barato de Cunha ao proibi-lo de instalar o processo de impeachment pela via do regimento da casa. Terá que provar, e com provas cabais um crime de Dilma Rousseff. E ainda por cima tem que ser neste governo que começou em 1º de janeiro deste ano.

Poesia
STF deu ordem
Pra que em Dilma ninguém tasque
Cunha tentou dar o golpe
É bom que agora se lasque
Chamou tucanos e ursos
Mas não combinou com os russos:
Lewandowski e Zavascki...

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Agripino: a casa está caindo

Um amigo me perguntou outro dia por que não comento sobre os casos de corrupção que envolvem o PT. Falei que, primeiro, vou falar dos casos de corrupção dos outros, já que ninguém ou quase ninguém deles fala. Quando esgotar o estoque dos outros, posso passar a falar do PT, partido ao qual, como todos sabem, sou filiado há 35 anos. Preciso falar, primeiro, da roubalheira do PSDB de Aécio, do DEM de Zé Agripino, do PMDB de Cunha, do PP de Nardes, do Solidariedade, de Paulinho da Força e outros achacadores e formadores de quadrilhas para extorquir a riqueza nacional. José Agripino, por exemplo, que sempre pousou de paladino da moralidade, está se revelando um dos maiores corruptos do Brasil, como já se sabia aqui no Rio Grande do Norte, onde ele é conhecido como “Senador Rabo de Palha”. O Coaf, órgão de inteligência financeira vinculado ao Ministério da Fazenda, detectou uma série de depósitos em espécie de forma fragmentada e sem identificação dos depositantes, no valor total de R$ 169,4 mil, em contas bancárias do senador José Agripino Maia, presidente nacional do DEM. Segundo relatório do Coaf, a movimentação "sugeriria tentativa de burla dos mecanismos de controle e tentativa de ocultação da identidade do depositante"; entre outros depósitos para Agripino, com identificação, um motorista do Senado colocou R$ 95 mil, em espécie, na conta do senador. De acordo com o Coaf, movimentações suspeitas foram realizadas no mesmo dia, 27 de outubro de 2014, no final da campanha eleitoral do ano passado. As contas do senador receberam seis depósitos de R$ 9.900,00 cada um no caixa do banco em um total de R$ 59,4 mil, além de outros 44 depósitos em espécie, em envelopes no caixa eletrônico, cada um deles com R$ 2.500,00. Entre outros depósitos para Agripino, com identificação, um motorista do Senado colocou R$ 95 mil, em espécie, na conta do senador, além de ter feito dois depósitos, um de R$ 9.000,00 e outro de R$ 9.100,00 "em espécie na mesma sessão de caixa" e na mesma agência. Outra servidora pública, lotada no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, fez quatro depósitos fracionados de R$ 9.000,00. O relatório do Coaf integra o inquérito aberto nesta quarta-feira (7) por decisão do ministro Luís Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), para investigar o senador a pedido da PGR (Procuradoria Geral da República). Agripino é acusado de receber "vantagens indevidas" em troca de "auxílio na superação de entraves e liberação de recursos do financiamento" do BNDES para a construção do estádio de futebol Arenas das Dunas, em Natal, entre 2011 e 2014. Ou seja, Agripino agora foi pego com a mão na botija e vai ser investigado formalmente por isto. Aquela frase famosa do senador quando foi pego numa falcatrua de 400 mil reais na sua conta de campanha: “não vem que não tem”, já não soa com tanta força

Zelotes. 7 vezes a Lava Jato
A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (8) uma nova etapa da Operação Zelotes. Estão sendo cumpridos pelos policiais 7 mandados de busca e apreensão, 5 deles em Brasília e 2 no Rio de Janeiro. As medidas judiciais foram concedidas pela 10.ª Vara Criminal Federal do DF. As ações desta quinta-feira, segundo a PF, são fruto da primeira análise do material apreendido na deflagração da Zelotes, em 26 de março de 2015. Nos documentos apreendidos naquela ocasião, afirma a Polícia Federal, foram identificados indícios que apontam para a participação de outro CARF (Conselheiro do Conselho Administrativo de Recursos Humanos), além de escritórios de advocacia ligados a ele.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

E agora, JOSÉ?

E agora, José?
A farsa acabou,
Youssef lhe entregou,
A casa caiu.
A boca esquentou.
E agora, JOSÉ?

E agora, você?
Você que é do DEMO,
DEMO de DEMÓSTENES
Do DEMO de Arruda,
Será que a Papuda,
Já lhe espera, JOSÉ?

Tá sem Istoé,
Sem Veja e sem Globo,
Com cara de bobo,
Já não pode correr,
Já não tem Gilmar
Que lhe tire das cordas
Yussef mandou
Você embolsou
A grana que veio
Três milhões, JOSÉ
Quanta hipocrisia...

Cachoeira secou,
Aécio fugiu,
Barroso pegou-lhe
E agora, JOSÉ?

E agora, JOSÉ?
Suas podres palavras,
Dedo duro e mão mole,
Sua boca de fole,
Voz de Papacum,
A piteira de ouro,
O telhado de vidro
Sua incoerência,
Seu ódio – E agora?

Quebrou a São João,
O BDRN,
Quebrou o BANDERN
E o RABO DE PALHA
No fogo queimou...

Quer ir para Minas
Mas lá é PT,
JOSÉ. E agora?

Se você acusasse
Tanto nas tribunas
E no ARENA DAS DUNAS
Você não roubasse;
Se você mentisse
Porém disfarçasse
Mas você acusa
E faz muito pior
Você é doido, JOSÉ?

Inspeção veicular
Já não dá milhões
Chegou a agonia
O rei está nu...

Não vai escapar.
Não fuja a galope
Que em vez do IBOPE
O BOPE lhe espera,
JOSÉ.
E você vai pra onde?


terça-feira, 6 de outubro de 2015

O ódio político e o vilipêndio a Dutra

Uma bandeira do Brasil ensanguentada e uma faixa com a frase “Petista bom é petista morto”, à frente do prédio onde acontece um velório.  Alguém, em sã consciência seria capaz de imaginar uma cena dessas na ação política brasileira, depois de 26 anos de democracia? Já vimos até mesmo enterros simbólicos de políticos. O nome está dizendo “enterro simbólico”. O que aconteceu no velório do ex-presidente do PT e da Petrobras, o ex-senador José Eduardo Dutra foge à lógica da civilidade. A frase “petista bom é petista morto” pressupõe efeitos bem mais danosos do que a agressão a um morto. Acompanhada do caldo de cultura nazista que vem se formando no Brasil, com a queima de sedes do PT, explosões em espaços do partido, policial federal treinando tiro ao alvo em um desenho da presidenta da República, advogado propondo a degola da chefe da nação e outros gestos bárbaros, provocações e ofensas pessoais ao ex-ministro Guido Mantega e ao secretário Padilha, esta frase deve ser lida como um incentivo à agressão física e até ao linchamento de petistas. Ela é um incentivo ao crime. Os petistas precisam começar a se preparar para garantir a defesa pessoal e a integridade física e moral. Teresa Cruvinel do alto da sua longa experiência como jornalista diz no seu blog: Não é preciso ser sociólogo para constatar que há algo de patológico numa sociedade que viola o tabu da morte e permite que o ódio político invada as cerimônias fúnebres. O respeito aos mortos não é apenas um mandamento cristão mas um pressuposto da civilização. Na hora da morte devemos ser ainda mais reverentes para com aqueles que acabam de sair da vida. A lembrança do que foram e do que fizeram ainda está muito vívida mas deles mesmos resta um cadáver que não fala, que não pode se manifestar nem se defender. Ofender um morto no funeral é de uma covardia atroz. (...) Ademais, procurando sempre ajustar-se aos tempos e à Cultura, o Código Penal atualmente prevê o crime de ofensa aos mortos, no qual estariam incursos os ofensores de Dutra. Um dos manifestantes foi o aposentado Cipriano de Oliveira, de 60 anos que justificou: “impróprio é criar o mensalão e o petróleo”. O que quis dizer esse retardado?

Miopia
O PIG – Partido da Imprensa Golpista encontrou uma “conta secreta” de Romário na Suíça, mesmo que a conta não exista, mas não consegue descobrir as quatro contas existentes e que guardam cinco milhões de dólares da família Cunha, mesmo com o Ministério Público suíço mandando documentos comprobatórios.Sempre foi assim. Esse mesmo PIG só conseguiu ver a Campanha DIRETAS JÁ quando seus organizadores botaram 1 MILHÃO de pessoas na Praça da Sé, mas não vê CUNHA nem com 5 MILHÕES na Suíça.

Oposição abutre
É evidente que Dilma está virando o jogo. Se dermos uma olhadinha no noticiário, por mais que seja parcialmente antipetista, vemos que há mais notícias ruins para a oposição que para o governo e o PT. O desespero está levando os golpistas a levarem seus manifestantes abutres até para enterros de petistas, tentando gerar fatos políticos. E os que conseguem gerar são negativos.

Aprovação
Parece que para o PT, o fim do mundo não está tão próximo como quer fazer crer a mídia oposicionista. Em Minas Gerais, pesquisa mostra Pimentel, o governador petista com 73% de aprovação. Fernando Haddad também aparece bem na fita em São Paulo. Tenho participado de negociações para a campanha de 2016 num pequeno município interiorano e vejo que o bombardeio incessante a Dilma não está atingindo o partido nas suas bases. 

FotoLegenda
Diante da negligência da Justiça, as várias faces do rosadismo continuam abusando da legislação eleitoral. Lembram dos mosaicos com a logomarca de campanha de Rosalba? Continuam por aí, “nas pedras pisadas do cais”. Já a Biblioteca Ney Pontes Duarte, lugar que merece ser tratado com a maior seriedade, pois existe para dar lições, abriga uma placa que funciona como uma propaganda eleitoral de Fafá Rosado, ex-prefeita e pré-candidata a prefeito para o pleito de 2016. Em se tratando de uma biblioteca ficamos curiosos em saber qual “a leitura” que a Justiça Eleitoral faz deste evidente abuso. Será que a dita placa é dirigida ao senhor “LEITOR” ou ao “ELEITOR” visitante?

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

“Situação do presidente da Câmara é insustentável”

A frase não é deste colunista, que, como bem sabe minha meia dúzia de leitores, não é em nada simpático ao rapaz. É de um dos maiores fãs e aliados do próprio Eduardo Cunha. Merval Pereira, o “imortal” da Rede Globo que tem em Cunha uma das suas maiores esperanças para a derrubada de Dilma através de um processo de impeachment. Depois das informações chegadas diretamente do Ministério Público da Suíça, ficou difícil de acreditar na força do presidente da Câmara até para se manter de pé quanto mais para derrubar a maior autoridade do País. Altamiro Borges, em seu blog mostra detalhadamente os passos que levaram Cunha a uma Via Sacra que está apenas começando. Há quem imagine que sua cassação pode acontecer ainda nesta semana. O "imortal" Merval Pereira nem disfarçou a sua tristeza no 'Jornal das Dez', da Globo News. Na noite desta quinta-feira. Para ele, que apostou todas suas fichas em Eduardo Cunha como peça decisiva para o impeachment de Dilma, "a situação do presidente da Câmara Federal é insustentável". Após a confirmação de que o lobista possui cinco contas em bancos da Suíça, que não foram declaradas à Justiça Eleitoral, parece que finalmente o gatuno subiu no telhado. Até velhos compadres de Eduardo Cunha - há quem afirme que o "achacador" ajudou, financeiramente, a eleger uma bancada de mais de 100 deputados - já dão sinais de que jogarão fora o bagaço. É forte a tendência da sua cassação. Quanto à sua prisão, a medida tão aguardada ainda dependerá da seletiva Justiça brasileira. O ministro Gilmar Mendes, o seu parceiro de tantas conspirações golpistas, fará de tudo para evitar este desfecho traumático - nem que seja preciso disparar mais alguns habeas corpus. A notícia das cinco contas secretas caiu como uma bomba, em Brasília. A suspeita já era antiga e até gerou bate-boca no Congresso Nacional. Questionado em março último, Eduardo Cunha jurou de pé junto que não possuía conta no exterior, o que complica ainda mais sua situação. Agora, é o próprio Ministério Público da Suíça que informou às autoridades brasileiras que encontrou cerca de US$ 5 milhões em contas de Eduardo Cunha, da mulher Cláudia Cruz e de uma de suas filhas. O órgão chegou a estudar o pedido de extradição do lobista, o que foi negado pela Procuradoria-Geral da República. Prossigamos nas Notas Curtas, com o que o Blog do Miro classifica como “Alguns fatos constrangedores”.

Negou que tinha as contas
Em 12 de março deste ano, em depoimento à CPI da Petrobras, Eduardo Cunha negou possuir conta na Suíça. Na ocasião, ele foi questionado pelo deputado Delegado Waldir (PSDB-GO) sobre a grana em paraísos fiscais. Cunha negou categoricamente: "Não tenho qualquer tipo de conta em qualquer lugar que não seja a conta que está declarada no meu imposto de renda". E agora?

Sonegou à Receita Federal
Em sua declaração de renda entregue à Justiça Eleitoral em 2014, Eduardo Cunha informou ter um patrimônio de R$ 1,65 milhão, incluindo apenas uma conta no Itaú, com saldo de R$ 21.652,39. Por que o lobista não faz como o jogador Romário, acusado pela Veja, e vai à Suíça para desmentir a existência das contas secretas. Tem medo de ser preso?

Propinoduto
Em recente "delação premiada", João Augusto Rezende Henriques, preso na semana passada pela PF sob a acusação de ser operador do PMDB, "confirmou ter feito depósito em conta na Suíça que seria repassado ao atual presidente da Câmara.

Sujeira e lavagem
Junto ao STF, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acusou o peemedebista de ter recebido ao menos US$ 5 milhões em propina por um contrato entre Petrobras e Samsung. Em documento de 85 páginas, ele denunciou Eduardo Cunha pelos crimes de "corrupção passiva e lavagem de dinheiro", com base na delação premiada do ex-consultor Júlio Camargo.

Sequestrador e chantagista
Temendo ser cassado e preso, nos últimos dias Eduardo Cunha radicalizou ainda mais sua postura e entrou em choque frontal com o Senado. Ele boicotou importantes votações e afirmou que agilizaria a análise dos pedidos de impeachment da presidenta Dilma. Sua valentia, porém, acabou gerando maior desgaste. Segundo a coluna Painel da Folha, "na reunião de líderes do Senado com Renan Calheiros, o presidente da Câmara foi chamado de 'sequestrador' e 'chantagista'". 

Os ratos fogem do seu navio
Parlamentares do PSDB e do DEM, que garantiram a blindagem de Eduardo Cunha com o objetivo de desgastar o governo Dilma, agora já ensaiam jogá-lo ao mar. "Se aparecer um extrato bancário, aí não tem o que fazer", afirma um grão-tucano. O cambaleante Aécio Neves, tão próximo do lobista, agora foge dos holofotes e curte sua ressaca. Paulinho da Força, que promoveu um ato de apoio ao presidente da Câmara, também sumiu. E Marta Suplicy, que pediu a bênção de Eduardo Cunha para a sua filiação ao PMDB, já estuda um novo discurso sobre ética na política para enganar os incautos.

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

A autoridade gaúcha desertou

Apalavra anarquia quer dizer: ausência de governo ou autoridade. A ideologia anarquista, ao contrário do que muita gente pensa, propõe uma sociedade tão perfeita, cujas pessoas são tão organizadas e conscientes dos seus deveres e direitos bem como respeito ao direito dos outros, que não precisa de governo, prescinde de qualquer forma de autoridade pois essa civilidade extrema é auto regulável. Lindo e maravilhoso. Pena que na prática isso nunca tenha acontecido de fato e a perspectiva de vir a acontecer é tão remota quanto a de achar uma agulha perdida nos sete mares, sem bússola e sem escafandro. Agora irresponsavelmente o secretário de segurança do Rio Grande do Sul, num rasgo de inconsequência sem limites que deveria custar-lhe a demissão se pertencesse a um governo sério, disse que o próprio povo deve fazer o papel de polícia enfrentando os bandidos, dando-lhes inclusive voz de prisão, quando achar necessário. Que existe lei neste sentido, existe. Mas é para ser usada em casos extremos, como, no outro extremo está a lei do furo famélico. Quando o Estado, por acaso, não se faz presente e não quando a autoridade deserta. Em hipótese alguma, poder-se-ia imaginar que um secretário de segurança pública pudesse cometer tamanha estultícia declarando isso de público. Está pregando, não a anarquia, aquela de verdade, aquela da sociedade perfeita, mas o caos, a bandalheira, a barbárie. Olhe o que ganhou o povo gaúcho quando imbecilmente tirou do poder um homem da dimensão de Tarso Genro para entronar um peemedebista desqualificado.

Pé de galo
Ninguém se baixa para apanhar o sabonete no banheiro do impeachment. O PSDB sabe que se der o golpe, o PMDB, dono das cadeiras de vice, de presidente da Câmara e de Presidente do Senado, assumirá o governo.

Pé de galo II
Enquanto isso, o PMDB sabe que Temer é frágil e que os outros dois, Cunha e Renan, são pra lá de bichados e que a consequência drástica dessa pantomima é que podem ser convocadas, em prazo curtíssimo, eleições suplementares. Nesse caso, quem tem nomes para disputar são o PSDB e o PT.

Pé de galo III
Sabem PMDB e PSDB que, em caso de haver disputa só tem um jeito de eles ganhar nas urnas. É que Lula não esteja disputado. Para Lula não entrar na disputa só tem dois caminhos: assassiná-lo ou cassá-lo. No caso de cassá-lo, faz-se necessário jogá-lo na prisão ou no exílio. 

Pé de galo IV
Sabem os golpistas também que qualquer das três alternativas: assassinato, prisão ou exílio de Lula, só se realiza com baionetas e tanques nas ruas. Sabem também os “impicheiros” que petista nenhum, acredita mais nas flores vencendo os canhões. A isso ninguém pode chamar de democracia, que tem sido a bandeira histórica do PMDB desde quando se chamava MDB e tinha quadros como Ulysses Guimarães, Alencar Furtado e outros deste naipe. Pior. Sabem todos que a ditadura é imprevisível. O exemplo do golpista Carlos Lacerda, conseguindo o golpe e sendo cassado depois, ainda arde nos olhos dos golpistas de hoje.

FotoLegenda
A foto me fez lembrar versos da minha autoria no livro O Gran-de Joaquim Nabuco e Obra da Escravidão, publicado pela Editora IMEPH e com mais de 20 mil exemplares vendidos: “Não via em sua pureza / Motivos pra divisão... / Pele branca ou preta tinham / Iguais sangue e coração; / Choro igual quando nasciam / E quando todos morriam / Tombavam no mesmo chão. / Vivenciou esta vida / De igualdade comprovada; / Entendeu que a diferença / Era coisa fabricada / E que a espada e a cruz / Que em vão juravam Jesus, / De Cristo não tinham nada!”

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Aécio Neves: Um governante voador

Encontramos no site 247, de Minas Gerais, comprovação do que se dizia há muito tempo, sobre as viagens boêmias de Aécio Neves ao Rio de Janeiro no jato oficial do Governo do Estado de Minas Gerais. Um levantamento feito pelo governo de Minas Gerais não encontrou justificativas para as viagens do ex-governador e hoje senador Aécio Neves (PSDB-MG), em jatos oficiais, entre 2003 e 2010, período em que governou o estado. Durante esse período, embora governasse Minas, Aécio tinha fama de baladeiro e de passar quase todos os fins de semana no Rio. Ele fez nada menos do que 124 viagens ao Rio, e quase sempre de quinta a domingo, segundo reportagem de Ranier Bragon. O levantamento também registrou seis viagens de Aécio para Florianópolis, onde ele conheceu sua atual esposa, Letícia Weber. Na capital catarinense, Aécio costumava frequentar o Café de la Musique. Na lista de viagens com aviões oficiais, há ainda deslocamentos para balneários fluminenses, como Búzios e Angra dos Reis. Até outubro, a gestão de Fernando Pimentel informará à Assembleia Legislativa de Minas Gerais o gasto total de Aécio com aeronaves usadas para fins particulares, o que, em tese, constitui improbidade administrativa. A assessoria de Aécio diz ser normal usar aviões do Estado para atividades pessoais e que, em alguns casos, houve compromissos profissionais, mas não comprova nenhum deles.

Não é piada
Tenho recebido de várias fontes um email dizendo que não é piada, mas o senhor Ge-raldo Alckmin, governador do Estado de São Paulo estará em breve recebendo um prêmio como bom gestor de recursos hídricos. Como diria o humorista Mução: “É demais, é demais”. Mas já não podemos ficar abismados com nada depois que Menahen Begin o governante de Israel que massacrou palestinos em Sabra e Shatilla recebeu um prêmio Nobel da paz.

Contradição
O PT está sendo processado por doações de campanha, mas a cúpula do partido já decidiu que não quer mais recebê-las independentemente do resultado das votações no Congresso e no STF. A bancada do PT no Senado e a bancada na Câmara Federal votaram contra as doações. Dilma está disposta a vetar a lei. Enquanto isso o PSDB e o DEM que não estão sendo processados e acusam o PT de roubalheira com dinheiro vindo de empresas, fazem exatamente o contrário. Defendem as doações empresariais e votam a favor. Vá entender.

Estranhíssimo
Não bastasse a estranheza de se ver políticos do PSDB, do DEM, do pmdb revoltados com o fim do financiamento empresarial de campanhas políticas, temos o ministro Gilmar Mendes revoltadíssimo com esse corte. O que é que ele tem a ver com isso? Muito suspeito. Ou não?

FotoLegenda
Mais estranheza ainda está nessa questão da Operação Zelotes. Omissão total da imprensa e da Justiça. Será porque não tem petistas acusados, investigados e condenados? Será?

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Proselitismo doentio

Independentemente do Golpe da ESAM, atual UFERSA desde a abertura política, as coisas sempre tiveram seu grau de acirramento. Claro que com o golpe o tempo fechou. Mas eu lembro um petista muito querido por nós que ia além da indignação pelos graves problemas internos à instituição. Aquele professor amigo nosso, petista de carteirinha alimentava um ódio pessoal a Vingt-Un Rosado, de quem tinha sido grande amigo nos primeiros tempos da sua vinda do Ceará. Um dia, nos idos de 1986, chegou-nos a notícia da queda de um avião em Mbuzini, na África do Sul, matando o líder da independência moçambicana e mais 34 membros de uma comitiva presidencial que voltava de uma cimeira africana na Zâmbia. Quando soube da notícia o amigo professor disse de supetão: “Foi o Vingt-Un quem derrubou o avião”. Claro que a risada foi geral. Dali tiramos uma grande lição. Não podemos ficar obcecados quando em confronto político. Foi isso que vimos da parte de alguns petistas durante muito tempo e agora vemos de tucanos e demos, só que em grau infinitamente mais acirrado, pois não se trata mais de radicalismo político, mas de ódio ideológico. É o ovo da serpente que está chocando. No Brasil, a casca do ovo já ameaça rachar... A sorte é que a oposição é incompetente, desacreditada e frouxa. Quando vemos um ministro da suprema corte fazer uma catilinária de quatro horas partidarizando a questão das doações empresariais de campanha, mesmo sabendo-se que todos os lados da política brasileira recebem doações de empresas e que o PT já decidiu que não quer mais recebê-las, mas exatamente por isto, o tal ministro faz deste argumento uma estultícia de dizer que o partido já tem em algum colchão um pé de meia para as campanhas políticas que se virão até 2038. Daqui até lá serão doze eleições, sendo seis presidenciais. As seis devem ser multiplicadas por 27 de governadores, senadores, deputados estaduais e federais. Mais seis de prefeitos, multiplicados por pelo menos uns três mil municípios onde o PT disputará. Coisa de dezoito mil campanhas, mais seis vezes sessenta mil vagas de vereadores estarão em disputa até 2038. Só um esquizofrênico como Gilmar Mendes, pode imaginar tamanha abestalhação. Um procurador de Justiça paranaense chega ao despautério de dizer que se a Operação Lava Jato sair de Curitiba se acaba, porque o único juiz honesto do Brasil, é Sérgio Moro. Duvido da honestidade dele, mesmo não acreditando tanto na dos outros. Porém não se pode generalizar. Temos muitos juízes honrados em meio ao Judiciário corrupto, assim como temos políticos honestos em meio a essa bandalheira da política. Uma médica chega ao pé de uma cama de hospital e em vez de prescrever um medicamento para o paciente fragilizado, faz um discurso contra a presidenta Dilma. Pode haver maior falta de profissionalismo? Sem contar com uma imprensa cretina que, como dizia Uziel Santiago, “levanta falso testemunho e prova...”, Mas só quando se trata do PT, porque dos outros partidos, ela sabe de fatos concretos de roubalheira e bandalheira, mas omite. Uma imprensa, por fim, que não informa nem forma, apenas deforma. Será que está certo? Quem achar que tudo isso se chama liberdade de expressão, não sabe o que é fascismo. Não sabe o que é usar a liberdade conquistada a duras penas para pedir de volta a ditadura contra quem lutou pela democracia que poderia ser muito bem aproveitada.

Polícia
Não posso cantar loas à segurança pública do Governo Robinson Faria e do comandante Humberto Pimenta. Mas ontem me senti bem como cidadão. Procurava uma casa no entorno da Igreja do Perpétuo Socorro. De repente me apareceu uma viatura policial. O piloto baixou o vidro e me perguntou se tinha visto ali nos arredores alguém tentando arrombar um carro verde. Falei que não tinha visto e o vigilante da UERN, com quem eu conversava também disse que não. Logo apareceu outra viatura. A primeira já circulava na redondeza em busca do larápio. Em seguida, uma terceira viatura. O arrombamento não foi constatado, mas senti firmeza na presença policial.

Polícia II
Eu e o vigilante ficamos com a sensação de que poderia ter sido um trote. Coisa safada que foge ao controle do governador e do comandante. Uma maldade que precisa ser tratada como crime. Trote para a polícia ou para o SAMU, deve ser tratado com cadeia, sem direito a fiança. Quando passei no bairro dos Pintos vi uns quinze policiais em frente a um Posto de Saúde. Fiquei pensando que não é nada fácil resolver o problema da segurança, mas que se continuar assim, pode abrandar muito a onda de violência.

Terceira Guerra Mundial
O papa Francisco traz à tona um ponto de pauta da geopolítica mundial, que estava esquecido dos grandes debates desde a queda do Muro de Berlim. A terceira Guerra Mundial. Parece estranho que ele escolha Cuba para levantar esta pauta. O detalhe é que Cuba foi satélite soviético e ainda tem dentro do seu pequeno território um pequeno pedaço russo, os mísseis capazes de destruir os Estados Unidos e tem também um pequeno pedaço dos EUA, o famigerado presídio de Guantánamo.

O Papa acertou o alvo
Quem achar que o assunto está morto, está muito enganado. Depois que acabou a ameaça soviética, pensava-se que acabaria a corrida armamentista do Tio Sam, mas aumentou. Mais de 60 novas bases militares em todos os continentes foram montadas e as muitas pequenas e médias guerras que ora ocorrem nos deixam a impressão de que a indústria bélica e os demais interesses imperialistas querem a generalização do conflito para reconstituir o domínio imperial.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Para juntar 2 bilhões, o PT não precisa de cleptocracia

Gilmar Mendes não sabe nada de Matemática. Nem de cleptocracia, exceto no que lhe compete... Disse que o PT executando um projeto de perpetuação no poder, em muitos anos de roubos nas estatais, ora freados pela Operação Lava Jato, teria acumulado 2 bilhões de reais. Dinheiro, segundo ele, suficiente para custear campanhas eleitorais até 2.038. Ora, até a próxima campanha presidencial, em 2018, temos que atravessar 35 meses. Então, se um petista puser numa caderneta de poupança 3.62% do salário mínimo, isto é, R$ 28,57 a cada mês, chegará à campanha de 2018 podendo contribuir para a campanha de Lula, com 1.000 reais. E olha que não estou incluindo os juros. Mas como os petistas esperam que seja aprovada a CPMF, de repente pode ficar uma coisa pela outra. E os dois milhões de filiados, com mil reais, cada um, já poderão depositar na conta da campanha, nada menos que os dois bilhões que Gilmar acha que demorou tanto tempo de “cleptocracia” para se conseguir. A estupidez de Gilmar está provocando os petistas a começarem a fazer suas poupanças com vistas a 2018. Basta poupar menos de 4% do salário mínimo por mês, ou seja, o equivalente a menos de dez cervejinhas ou de dez litros de gasolina para eleger Lula de novo. Se os petistas se revelaram capazes de levantar quase um milhão de reais em apenas uma semana para tirar Zé Dirceu da Papuda, imagine-se do que o partido é capaz para colocar Lula lá no Planalto, de novo. E ainda tem os simpatizantes. E muita gente que colabora com uma boa grana. Então, dois bilhões, para o PT é um simples mutirão e não um reinado de roubalheira.

Botando gás
É duro ver-se um botijão de 13 quilos de gás de cozinha vendido a 55 reais. Eu mesmo acho muito caro. E vejo que subiu acima da inflação. Mas uma comparação precisa ser feita para sabermos se os críticos estão com a razão. Nos tempos de FHC, um botijão de gás custava 26 reais enquanto o salário mínimo estava em 200 reais. Isso quer dizer que com um salário mínimo o trabalhador brasileiro poderia comprar 7,5 botijões de gás e ninguém reclamava. Agora que estão achando a situação caótica, um salário mínimo de 788 reais consegue comprar 14 botijões de gás. Quase o dobro dos tempos do Tucanistão. Quer dizer. A coisa está ruim, mas não se pode esquecer que já foi bem pior.

Costa por Costa
Tem um prefeito no ABC Paulista detonando Lula. O nome dele é Tito Costa e quando foi candidato a prefeito, usava um slogan que diz muito da sua personalidade e competência: “Bosta por bosta, vote em Tico Costa”. Eis um prefeito sem disfarces. Ele cheira mal, mesmo.

Auxílio-Moradia
Seis promotores de justiça do Piauí rejeitam o tão condenado auxílio-moradia que foi estendido pelo ministro Luiz Fux aos Estados que não o concediam. Além de renunciar ao auxílio-moradia, a promotora Leida Diniz se recusa a receber também o auxílio-alimentação no valor de 1.000 reais por considerar vergonhoso. “Não recebo porque o que ganho dá para eu morar e me alimentar com dignidade. É imoral eu receber o auxílio-moradia num valor que é muito acima do rendimento da maioria da população”, desabafa. Não recebem o auxílio no Piauí, as promotoras: Cláudia Portela Lopes, Cleia Cristina Ferreira Fernandes, Leida Diniz; os promotores: Fernando Santos Márcio Rocha e o presidente da Associação Piauiense do Ministério Público (APMP), Paulo Rubens Rebouças.

FotoLegenda
Este é o terceiro papa que aperta a mão de Fidel Castro. O único líder político mundial a gozar desta tripla honraria. Os livros Fidel e a Religião, de autoria do brasileiro Frei Beto, e A Ilha, de Fernando Morais, duas grandes obras que li há trinta anos, explicam os motivos desta deferência de pontífices católicos ao líder de uma revolução que não tem inspiração religiosa. Fidel e a Religião, de Frei Beto, foi o presente de Fidel Castro ao Papa Francisco.

sábado, 19 de setembro de 2015

Sem sombra de dúvidas, um gesto histórico

O STF de tantos gestos rasteiros perante a história, precisou que chegasse à sua presidência um homem do porte de Ricardo Levandowski para tomar uma decisão capaz de contar com os nossos mais respeitosos aplausos. Falo do financiamento empresarial de campanhas políticas ali derrubado entre a quinta a sexta feiras, depois de arrancar o processo de debaixo das adiposas calipígias do asqueroso Gilmar Mendes depois deste apojar-se em cima por cerca de um ano e meio. A Câmara Federal tinha aprovado no susto como é do estilo de Eduardo Cunha, o símbolo da corrupção alimentada pelo financiamento empresarial de campanhas, sendo ele corrupto e corruptor com este dinheiro origem suja.  Claro que irá aumentar o Caixa 2, mas ficará bem mais fácil detectar. Basta comparar as volumosas campanhas o que irão às ruas e o dinheiro contabilizável. Olhar com cuidado os apoiamentos que acorrerão aos comitês e avaliar por quanto e não por que tantos vereadores, prefeitos, cabos eleitorais estão se achegando a determinados políticos. Há que atentar-se, porém para o imenso volume de recursos que passam sorrateiramente por baixo dos livros contábeis das campanhas. Não esqueçam de que existem várias etapas de compras de votos: A primeira delas é a compra “no atacado”, quando, por exemplo, um candidato a governador ou senador compra deputados e prefeitos, a segunda é a compra “em grosso” quando são negociados os apoios de vereadores e cabos eleitorais, incluindo-se aí os líderes comunitários que de comunitários não têm nada. E não falo dos líderes comunitários sérios, que aliás não são tantos quanto parecem ser. A terceira etapa de compra de votos é “no varejo”. É quando esses cabos eleitorais antes comprados através dos prefeitos e deputados que foram comprados nas fases de Grosso e Atacado, saem em domicílio, comprando de maneira planejada, sistemática, lenta, gradual e segura ao longo de todo o processo eleitoral votos de famílias ou individualmente. Depois a fase final, a quarta etapa, a compra “no queima”. A hora do desespero, do vale-tudo, do tudo ou nada. É quando um candidato precisa tirar uma diferença persistente nas pesquisas. Aí não tem medida. Raspam-se os tachos, o dinheiro tem que vir nem que seja da Caixa Prego, no quinto dos infernos, e a compra é feita, de preferência em forma de “recompra”. Será que a Justiça Eleitoral e o Ministério Público eleitoral terão pernas e interesse em fazer valer a lisura dos pleitos diante de tantas chances para os bandidos que roubam para se eleger e se elegem para roubar? Não sei. Mas fico feliz que tenha uma lei proibindo que se receba o financiamento empresarial que, além de servir para comprar os votos, ainda serve para garantir os gordos dividendos de todos os propinodutos da Bolsa mercantil de futuros da roubalheira pré-datada que grassa e desgraça a nossa pátria na administração pública.

Mais segurança
Dilma Rousseff vai criar centros integrados de segurança em 15 capitais que se somarão aos 12 instalados nas cidades-sede da Copa do Mundo.

Audiência X Odiência
O Jornal Nacional ficou atrás de Os Dez Mandamentos durante cerca de meia hora anteontem (17). A audiência de William Bonner e Renata Vasconcellos foi inferior à de Chapa Quente (20,6) e Verdades Secretas (21,4). A Regra do Jogo cravou 23,5. É o brasileiro fugindo do ódio global.

Judicialização
A disputa pela Prefeitura Municipal de Mossoró, em 2018 já está a pleno vapor. Quase todos os possíveis candidatos e candidatas estão nas barras dos tribunais lutando pelo direito de lutar pelo voto. Rosalba, Cláudia, Fafá, Larissa e Silveira. Todos querem candidaturas de novo... De novo, mesmo, ninguém.

FotoLegenda
“O governo insistirá na ideia de recriar a CPMF usando o discurso de que outros países resolveram os problemas das contas públicas ao aumentar temporariamente a carga tributária. Exemplo: Reino Unido, Espanha, Portugal e Irlanda” é o que diz o jornalista Kennedy Alencar. A Inglaterra de David Cameron é um dos países que, após aplicar um duro ajuste fiscal, voltaram a crescer.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

A luta contra a corrupção é esta... Que partidos estão do lado do povo?

Não dá para acreditar em quem se diz contra a corrupção, mas tem um comportamento seletivo. A indignação só surge quando se trata de denúncia de corrupção contra algum petista. Corruptos de todos os demais partidos não servem para indignar essa gente tão ávida por moralizar o Brasil. E quando se trata de petistas, a indignação vai além da conta, pois no mais das vezes se trata de uma indignação indigna, odiosa, brutal, como a de Jair Bolsonaro, o nazista que usa a democracia para, no conforto dos seus espaços, lutar pela sua morte. Recentemente, ele disse que Dilma tem que sair do poder, nem que seja por um infarto ou pela força de um câncer.  As expressões grosseiras, brucutus externam, sem manchas de dúvidas, toda a podridão que vai na alma sebosa do monstro que se assumiu estuprador seletivo. O decentíssimo juiz Márlon Reis, autor do livro “Nobre Deputado”, que mostra como se faz um corrupto no Brasil, lembra que: “A luta da sociedade gerou a Lei contra a Compra de Votos, a Lei da Ficha Limpa e o fim das doações empresariais. E não para por aqui”. Esta é a verdadeira luta contra a corrupção. Toda a corrupção e não a corrupção de um partido, que por sinal tem dado provas de que quer acabar com ela, a ponto de a presidenta da República, que é do PT, ser elogiada no mundo inteiro como um exemplo de combate à corrupção, enquanto aqui é tratada como se fosse uma batedora de carteiras. O partido da presidenta tem sido punido com força. José Dirceu perdeu um ministério, um mandato de deputado federal, os cargos de dirigente partidário, os direitos políticos, foi preso, foi proibido de trabalhar como preso de regime semiaberto, direito este que não usufruiu por um bom tempo, pois cumpriu boa parte do tempo em regime fechado e agora, de novo se encontra na cadeia. Se isso não é punição, vê-se que querem a pena de morte. O PT é visto como se fosse um antro de corruptos, mas a prática mostra que, se existe corrupção no PT, muito mais existe nas siglas que o combatem. Em 2014, entre 307 políticos cassados, o DEM de José Agripino, hoje quase um partido nanico, figurava como o primeiríssimo lugar, com 69 deles. Ou seja, 22,47% dos corruptos cassados, um em cada cinco, são do partido de Jajá. O PMDB de Eduardo Cuinha, Pedro Simon e Jarbas Vasconcelos, figura na lista com 66 e o PSDB de Aécio Neves e Fernando Henrique Cardoso tem 58, beirando os 19%. Quase 43% dos políticos cassados no Brasil, são de dois partidos, o DEM e o PSDB, exatamente os dois partidos que mais pedem o impeachment de Dilma, estimulam o “bate panelas” e vão às avenidas, pedir o “FORA PT”. Contra a compra de votos, o PT se destacou, apoiando a sociedade civil na sua luta contra esta excrescência. Na luta pela Lei da Ficha Limpa, que teve o juiz Márlon Reis como um dos próceres, o partido de Dilma Rousseff esteve na trincheira junto com a sociedade civil. E agora nesta luta contra o financiamento empresarial de campanha todos sabem que o PT se posicionou contra, em bloco. Aliás, decidiu que não receberá financiamento de empresas, independentemente do resultado deste processo de votação que derrubou este direito escuso no Senado, e agora na Suprema Corte. Vale salientar que a aberração só foi aprovada, exatamente na Câmara presidida por Eduardo Cunha, o rei dos achacadores e grande incentivador da luta cínica pelo impeachment de Dilma.

Limpeza Ambiental
A JMT Service estará hoje com uma Equipe Administrativa & Equipe Operacional, das 8h às 13h na Zona Norte, na Escola Municipal João Paulo II, acompanhando a Ação Nacional de Limpeza Ambiental. A “VIII Ação Nacional Febrac – Limpeza Ambiental” será realizada hoje, simultaneamente, em todo o País.

Descarte dos lixos
Sem fins lucrativos, o evento contará com a participação de cerca de mil voluntários, entre trabalhadores e empresários das empresas de asseio e conservação. Organizada pela Federação Nacional das Empresas Prestadoras de Serviços de Limpeza e Conservação (FEBRAC), em parceria com os Sindicatos Estaduais Associados, a Ação Nacional promoverá atividades ambientalistas ao redor do País, com o objetivo de contribuir com a diminuição de um dos maiores problemas do meio ambiente na atualidade: o descarte incorreto dos lixos.

Ato de cidadania
Devido à dificuldade do segmento em contratar profissionais com deficiência, as empresas filiadas aos Sindicatos Estaduais Associados realizarão um mutirão para contratação de profissionais com deficiência. O Ato de Cidadania, como é conhecido, faz parte da Ação Nacional Febrac que, neste ano, serão disponibilizadas cerca de 8 mil vagas de emprego. “A ação de recrutamento permite que as empresas apresentem suas ofertas de trabalho para os profissionais com deficiência com o intuito de promover a inclusão social e cumprimento da lei de cotas”, afirma o presidente da Febrac.

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

A degradação do Judiciário com um palanqueiro na Suprema Corte

Mídia e Senado cínicos de chorar. Foram nove horas de sabatina que mais parecia inquisição com o ministro Fachin porque um dia ele prestou algum serviço advocatício a alguém do PT. Quando Gilmar Mendes foi escolhido não teve um questionamento ao seu comportamento de cabo eleitoral do PSDB. Anteontem fez do STF um palanque eleitoral contra o PT em defesa da bandidagem do financiamento de campanha por empresas que todos sabem, depois cobram a fatura, no mínimo, multiplicando por dez. Inclusive do PT, conforme se fala tanto, mas, principalmente dos outros partidos, visto que dos 148 implicados até o momento, na Operação Lava Jato, em suas intermináveis fases, apenas 6% são do PT, mas a mídia foca 100% nos petistas implicados. O PT decidiu que não quer mais receber dinheiro de empresas nas próximas eleições. Isto tirou de Gilmar o discurso que lhe levava a sentar em cima do processo há mais de um ano. Mas ele não se fez de rogado, meteu uma aleivosia da pior espécie, argumento altamente cretino. Isto é porque o PT já guardou dinheiro demais para as próximas campanhas. Ora, pois, imagine-se quantas campanhas o PT ainda há de participar. Não foi mesmo por acaso que Dalmo Dallari, jurista de altíssima envergadura, disse que a nomeação de Gilmar Mendes para o Supremo Tribunal Federal era o início da degradação do Judiciá-rio brasileiro. Caso alguém duvide de Dalmo Dallari olhe para o fundo do poço para ver se consegue vislumbrar onde foi parar a credibilidade do Poder Judiciário brasileiro, aquele do qual se espera mais postura e decência para que possa servir de régua para os demais.

Novo recorde
A produção de petróleo e gás natural da Petrobras, no Brasil e no exterior, atingiu a marca de 2,88 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) no mês de agosto, atingindo assim um novo recorde histórico, 0,8% superior ao recorde anterior de 2,86 milhões boed alcançado em dezembro de 2014. Esse volume é também 4,5% maior que o registrado em agosto de 2014. Em relação ao apurado em julho, houve um crescimento na produção de petróleo e gás natural de 3,1%, quando foram produzidos 2,80 milhões.

Polícia política
Passei de uma fase de absoluto nojo da Polícia Federal nos seus tempos tenebrosos de ditadura militar, para uma condição de fã de carteirinha. Defendi a PF inúmeras vezes aqui neste espaço e por onde tive a oportunidade de abrir a boca. Hoje me vejo dividido, entre uma banda decente da Polícia Federal que está à altura das maiores polícias do mundo e uma Banda Podre, claramente a serviço de um papel de polícia política que praticou durante a ditadura e que alguns saudosistas não deixaram de praticar. Com especialidade um segmento que está abertamente a serviço dos adversários do PT. Um papel nada republicano.

Polícia política II
Imagine-se um policial federal treinando tiro ao alvo sobre um retrato da presidente da república; Imagine-se um delegado que pede ao STF para ouvir um ex-presidente da República mesmo reconhecendo que contra ele não há nenhuma prova, nenhum indício, enquanto não investiga tucanos contra quem há indícios e provas. O delegado baseia-se somente na “presunção”... Como se diz lá na minha terrinha: Ah. Cabra presunçoso.

FotoLegenda
Gostei muito desta camisa cuja imagem está circulando na internet. Poderíamos encher um guarda-roupa inteiro de camisas com nomes de nordestinos ilustres. Mas vamos começar por aqui.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Chico Buarque lembra o óbvio: o petróleo é nosso

Ocantor e compositor ícone da Música Popular Brasileira Chico Buarque criticou nesta segunda-feira, 14, o projeto do senador José Serra (PSDB-SP) que prevê mudanças nas regras do pré-sal. Em vídeo divulgado na internet, Chico critica a "cobiça permanente" em torno da Petrobras e disse não acreditar que "a sociedade aceite se desfazer do pré-sal". "O petróleo é nosso. Esse é um velho lema que deve ser mantido e lembrado sempre, porque há uma cobiça permanente em torno da Petrobras e, agora, com essa história toda em torno do pré-sal e de conquistas nossas, dos nossos governos desde os tempos de Getúlio, que volta e meia são ameaçadas por esse tipo de investida", afirmou. As críticas de Chico foram feitas em um vídeo gravado pelo fundador e líder do movimento, João Pedro Stédile. Chico recebeu petroleiros, sindicalistas e integrantes do MST para uma partida de futebol contra seu time amador, Politeama, no Rio. "Eu não acredito que passe um projeto desses no Senado e não acredito que a sociedade vá aceitar se desfazer da Petrobras, do pré-sal e tudo mais", concluiu o compositor. O projeto tira a obrigatoriedade da Petrobras de participar com 30% em todos os consórcios de blocos do pré-sal, além de ser operadora única de todas as áreas.

País das contradições
Eis o País onde tudo fazem para cassar um ex... Nada estranho na pátria da hipocrisia, onde milhares de corruptos estão lutando para cassar por corrupção uma presidente contra quem não há nenhuma prova. Nas ruas, usam-se os direitos e espaços da democracia pedir a volta da ditadura. Êh, Brasil...

Doação oculta
Câmara aprova doação oculta para campanha. Tradução: corruptos. O país só foca na Dilma, o resto se esbalda.

Preconceito: Lá como aqui
Uma mulher negra está processando a cidade de Nova York, nos Estados Unidos, após ser vítima de preconceito. Kamilah Brock foi mantida oito dias em um hospital psiquiátrico depois que um policial não acreditou que o carro de luxo que ela dirigia era seu. Kamilah foi mantida contra sua vontade em um hospital psiquiátrico, onde foi desnuda e sedada com remédios, por oito dias porque um policial não acreditou que a BMW que ela dirigia era de sua propriedade. A banqueira de 32 anos foi abordada no bairro do Harlem no início deste ano. O policial, que não quis se identificar, questionou a mulher sobre o porquê de ela não estar com as mãos no volante de sua BMW. As informações são do Huffington Post.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Cortando na carne alheia...

A direita quer que Dilma corte aí por volta de uns 30% dos investimentos importantíssimos de obras estruturantes, embora depois fiquem a reclamar da falta de infraestrutura; A mídia golpista, fazendo coro a essa raça de víboras quer que não seja concedido nenhum direito trabalhista aos servidores federais e que, em efeito cascata, também não sejam concedidos direitos aos servidores municipais e estaduais; As “zelites” querem que Dilma corte no mínimo 30% no orçamento dos programas sociais que eles chamam de Bolsa Esmola e Bolsa vagabundo, quando não dizem coisas piores e mais humilhantes; A oposição cínica que tanto aumentou pastas no primeiro escalão agora acusa Lula e Dilma de inflacionar o ministério. Basta lembrar que a dupla Tancredo o avô de Aécio, ora no PSDB e Sarney do mesmo PMDB de Tancredo, de Cunha e Renan, pulou de 16 para 34 ministérios. E lembrar também que quem mais extingiu ministérios na História do Brasil foi Fernando Collor de Melo, que reduziu de 34 para 17, mas foi o pior governo desde a ditadura, chegando ao extremo de ser expulso do poder, por força de impeachment. Mas Dilma vai ceder à falácia de que isto resolve o problema das gorduras na máquina estatal da mesma forma que Garibaldi Alves acabou dez empresas estatais no Rio Grande do Norte e ainda vendeu a COSERN e a situação não melhorou em absolutamente nada. Dilma está disposta a acabar dez ministérios e cortar mil cargos de confiança. Nisso, até que tudo bem, pois acho que quem tem que trabalhar é servidor de carreira, desde que bem remunerado. Os paneleiros comedores de caviar espumam no canto da boca quando determinam que corte-se o Bolsa-Família mesmo que não queiram milhões de meninos batendo às suas portas para pedir esmolas, até o dia que ficam grandinhos e passam a bater para entrar à força; Querem que corte-se os subsídios dos Fundos Constitucionais de Desenvolvimento do Nordeste, do Norte e do Centro-Oeste que tanto têm contribuído para que as massas sobrantes sejam bem menores e inchem muito menos São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília; Querem que corte os benefícios do PRONAF, o programa de apoio à agricultura familiar que gera milhões de empregos sem empanturrar o mercado, evita o êxodo rural e enche as mesas das cidades evitando que além da inflação do tomate tenha também a do feijão, a da farinha, a do frango e a inflação da jabuticaba, que como o termo saudade é coisa específica do Brasil. Só não querem que cortem 0,2% dos seus cheques milionários. Um imposto financeiramente insignificante para cada um, mas que pode ser uma poderosa injeção na solução dos problemas da saúde que a mídia mostra espremendo sangue em páginas de jornais e em telas de TV, todos os dias. CPMF que foi criada e alimentada durante todo o governo de Fernando Henrique Cardoso, do PSDB e do DEM. São 20 centavos de cada nota azul de cem reais. Mas, como diriam os que protestaram em 2013, “Não é pelos 20 centavos”; é, como disse um cartaz coxinha de 2015, por entender que “sonegar é legítima defesa".  Depois não reclamem quando bandidos estiverem reivindicando o direito de assaltar, matar, traficar e estuprar... Pois todos estes são crimes, tal qual a sonegação, é a “defesa” de quem é useiro e vezeiro na “arte” de sonegar. E aqui o termo defesa vai no sentido mais escrachado da gíria do malandro. 

Pasta básica
A Polícia Federal prendeu ontem, em Mossoró um rapaz de 27 anos que conduzia num ônibus Natal-Belém, dois quilos de pasta base de cocaína. Pela lógica atual não precisa elogio porque a PF cumpriu a sua obrigação. Mas eu elogio e vibro com a ação. Conseguisse fazer isso todo dia e o Brasil seria bem melhor. Mas o que admira mesmo não é este corretíssimo e importantíssimo de prender um traficante que leva dois quilos de pasta de coca. O que admira mesmo é que nunca tenham prendido o dono do helicóptero que levava 450 quilos de pasta de cocaína. O dono do helicóptero era um deputado filho de um senador de Minas Gerais, a família Perrela, ambos mui amigos de Aécio Neves, que, por sinal também é acusado por um policial de Minas, de ser ligado ao tráfico de drogas.

Auxílio-Moradia
A direita todinha, PSdemB, PIG e capital rentista vibra com os cortes no orçamento do Minha Casa Minha Vida, mas não dá um pio contra o auxílio-paletó nem auxílio-moradia de juízes e outros servidores muito bem pagos que podem, à farta, pagar suas vestes e moradias. Como todos têm rabo preso na Justiça não movem uma palha no sentido de se cortar bilhões em privilégios dos setores que mais deveriam dar exemplo de honestidade e austeridade.

Máfia tucana no ICMS
A Máfia do ICMS no estado de São Paulo fez com que a multinacional Prysmian, líder mundial em cabos e sistemas de energia, fechasse sua unidade em Jacareí, no Vale do Paraíba, em 2009. A decisão de mudar a fábrica para Joinville, em Santa Catarina, foi motivada por duas extorsões feitas por fiscais. Com o sucesso da empreitada, os fiscais repetiram o procedimento em unidades da empresa em Sorocaba e Santo André. A brincadeira custou 17 milhões. A empresa resolveu se mudar.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Líder da oposição alerta os impichadores: não seria fácil

Raul Jungmann, do PPS, é um dos principais líderes da oposição. Foi presidente no Incra no governo FHC. Ele tem muita experiência com lutas sociais e tem capacidade de analisar quais as consequências de um impeachment de Dilma. Vejamos:  Ele mostra o perigo que corremos. A única força realmente organizada que apoiaria o impeachment em bloco, sem contestação e, mais que isso, sustentaria um novo governo sem legitimidade democrática, seria a mídia. Esse é o lado bom. A mídia vai se desmoralizar de vez. Talvez seja essa a armadilha que a história esteja criando para mudar de vez um sistema de comunicação herdado da ditadura e que não se adapta à realidade do nosso País. Diferentemente de Collor, o impeachment agora terá os seguintes adversários, durante e, sobretudo, no day after: 1) O principal partido na Câmara, o PT, e que ainda é o partido com maior número de militantes orgânicos do país; 2) A UNE. Seria tolice subestimar a UNE, hoje muito mais organizada do que em qualquer outra época. 3) Todas as grandes centrais sindicais, ou ao menos, aquelas com atuação política mais experiente e orgânica. Só a Força Sindical, e mesmo assim, dividida, apoiaria um governo pós-impeachment. 4) A intelectualidade de esquerda, hegemônica em todas as universidades. 5) Os movimentos de ultraesquerda, capilarizados nas universidades, que tem feito oposição ao PT, mas que seriam muito mais agressivos num governo pós-impeachment. 6) O PSOL, partido de oposição ao governo, mas que exerceria uma oposição muito mais orgânica num governo pós-impeachment. 7) A imprensa progressista. 8) A opinião pública progressista. Todas essas forças, sob as atuais formas ou sob suas formas antigas, apoiaram o impeachment de Collor e deram sustentação ao governo montado em seguida. Não será mais o caso. Sem esses apoios, um governo pós-impeachment, para encontrar estabilidade, terá que apelar para a repressão, como fazem os governos tucanos em São Paulo e Paraná. O resultado, naturalmente, será desastroso. Na verdade, um impeachment seria uma verdadeira “Vitória de Pirro” para a oposição e a mídia. O seu custo seria tão alto, a mancha na história tão escura, que corresponderia a uma derrota.

De como seis viram cem
Dos 127 implicados na Lava Jato, 6% são do PT e têm 100% da atenção da mídia. Os 94% restantes... "não vêm ao caso".

PMDB TEMERário
A pressa em derrubar Dilma coincide estranhamente com a delação de Fernando Baiano, que pode implicar definitivamente Cunha e outros do PMDB.

Nordeste na frente
A estagnação da economia no ano passado “escondeu” uma forte disparidade regional. Pelo Índice de Atividade Econômica regional do Banco Central, considerado uma prévia do Produto Interno bruto (PIB), enquanto o Nordeste alcançou um expressivo crescimento de 3,7% em 2014 sobre 2013, o Sudeste amargou recessão de 0,8% na mesma comparação. Agricultura e varejo ajudaram os Estados nordestinos, enquanto a indústria foi a grande responsável pela derrocada de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, comprometendo a região mais rica do país, apesar do bom desempenho industrial do Espírito Santo.

FotoLegenda
"A entrevista que Duvivier concedeu a uma emissora portuguesa em Lisboa é uma das mais luminosas análises da cena política contemporânea nacional. A frase chave é esta: os caras querem tirar Dilma para poderem continuar a roubar", diz Paulo Nogueira, editor do DCM; "Duvivier usou, com graça irreverente, uma sentença que todos deveríamos ter em mente. Limpar a corrupção com os pseudocampeões da moralidade que estão aí é como 'limpar o chão com bosta'”.

sábado, 12 de setembro de 2015

O que está por trás da paixão pelos bonecos de Lula e Dilma

Um editorial da Folha de S.Paulo, para falar de bonecos infláveis, reforça neste colunista a convicção de que o Brasil está vivendo um grande Febeapá (Festival de Besteiras que Assola o País). A análise de Paulo Moreira Leite mostra a verdadeira face desta nova esquizofrenia da mídia brasileira, que só continua de pé pela imensa quantidade de midiotas que ela mesma criou e que agora é por essa leva retroalimentada. Não surpreende, assim, o amor infinito pelos bonecos canalhas de grupelhos fascistas. É uma paixão compartilhada pelos demais jornais. Os bonecos aparecem nas primeiras páginas dos jornais com uma frequência extraordinária. Não porque sejam notícia. Mas por ajudarem na fabricação da imagem do PT como um partido de bandidos e de Lula e Dilma como chefes de bando. Não que seja uma agremiação de anjos. Mas, numa escala de delinquência partidária, a supremacia definitivamente não é do PT. FHC simplesmente comprou sua reeleição. Aécio colocou dinheiro público nas rádios da família, construiu um aeroporto particular com dinheiro público e foi citado por Youssef como beneficiário num esquema de propinas. Mas é o PT que interessa aos jornais liquidar. Não são boas as intenções por trás do movimento de destruição de imagem do PT. O que as grandes empresas de mídia querem é o retorno de um presidente que perpetue os privilégios e as mamatas de que elas sempre gozaram. Disse outro dia e repito: até um macaco teria feito a Globo crescer, tamanha a quantidade de dinheiro do contribuinte que, por variados caminhos, foram dar nos cofres da empresa. Anúncios à base de 500 milhões de reais ao ano, mesmo com a queda expressiva de audiência. E estamos falando apenas de anúncios federais. Em todos os Estados a Globo morde o dinheiro público. As empresas brasileiras de jornalismo são visceralmente dependentes do dinheiro público. É um caso de extraordinária inépcia que, mesmo tão favorecidas pelo Estado, tenham tantas vezes ficado à beira do colapso. Deve-se criticar duramente o PT por não ter feito nada para alterar esse quadro da ligação vergonhosa entre governo e mídia. Se é verdade o que Requião disse, o PT pagou, nisso, o preço de um pragmatismo estupidamente delirante. Requião disse que Dirceu afirmou, logo no início da gestão Lula, que o PT tinha um canal de televisão: a Globo. Dirceu achava, segundo Requião, que o dinheiro da publicidade compraria a simpatia dos Marinhos, como sempre acontecera. Tancredo dizia que a esperteza, quando é demais, come o dono, e foi este o caso. Agora, enfim, os chefes petistas parecem haver acordado para a realidade de que a imprensa quer fazer com eles o que fez, no passado, com Getúlio e Jango. O uso obsessivo das imagens dos bonecos de Lula e Dilma são apenas mais um capítulo na desesperada tentativa de varrer o petismo.

Fábio Júnior
Alguém viu alguma nota sobre o repertório do show de Fábio Júnior nos Estados Unidos? Alguém sabe pelo menos quantas pessoas pagaram para assistir? Alguma preocupação sobre a produção do espetáculo? Algum crítico especializado deu algum pio sobre Fábio Júnior nos Estados Unidos. Quando se concluir a derrocada da sua carreira? Nada na mídia.

Fábio Júnior II
A única notícia que invadiu a imprensa brasileira foi a de que Fábio Júnior esculhambou com Dilma, com o governo, com o PT. Pronto. É isso mesmo. O objetivo de Fábio Júnior era que o Brasil soubesse que ele não morreu, que ele estava fazendo um show nos Estados Unidos.

Fábio Júnior III
Nada. Em verdade, ninguém está ligando para Fábio Júnior. Decadente na mídia brasileira e um ilustre desconhecido no exterior. O discurso contra Dilma e o PT deve fazer parte do contrato para a Globo soltá-lo. Mas ainda acho que se alguém se queimou neste episódio, foi o próprio Fábio Júnior. Petista que se preza não vai mais aos seus shows, pois não vai pagar para assistir comícios do PSDB/DEM.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Estado mínimo em um país sem o mínimo de Estado

Fala-se muito na diminuição do Estado brasileiro, especialmente no corte de funcionários, esquecendo-se que atividades como educação, saúde, segurança, assistência técnica e limpeza pública, por exemplo, só podem ser feitas com gente. Muita gente. Por mais que se ponha tecnologia na atividade, que é inerente ao setor de serviços, só se faz com muita gente. Imagine-se uma escola sem professores. Não tem jeito... 30 meninos numa sala de aula e um professor. Pode-se até pensar na educação à distância, mas é um modelo que resolve num pequeno segmento da atividade pedagógica. Não tem saúde, pública nem privada sem bastante servidores. Experimente conversar com Cláudio Montenegro ou com dr. Elano Cantídio da Oitava Rosado e da Nossa Clínica. E não poderá dizer que estão empregando por compadrio. José Antonio Lima e Lula Marques abrem o debate, lembrando que “a discussão que importa é a da qualidade dos serviços públicos, mas ela é amplamente ignorada”. A reforma administrativa anunciada pelo governo na semana passada, com corte de dez ministérios e mil cargos de confiança, é reflexo de um dos vários debates tolos travados no Brasil. Pressionada por uma crise econômica e política, Dilma Rousseff fez um anúncio para contemplar os críticos que desejam ver o Estado menor, sem tratar da questão mais importante: a qualidade do serviço público. Falta ao anúncio do governo, assim como ao debate público que o ensejou, profundidade. O corte de ministérios tem um lado positivo. Ele reduzirá marginalmente o reparte aos partidos aliados e pode contribuir para a superação do desgastado presidencialismo de coalizão brasileiro. Descontada essa vantagem, a reforma serve apenas para tentar acalentar quem vê o Brasil abatido por um suposto "inchaço da máquina pública" e advoga a redução do Estado a despeito de vivermos em um país no qual a ausência deste é tão grave quanto sua ineficiência. Em grande medida, a desinformação geral que criou essa situação é fomentada pela imprensa. O exemplo mais recente surgiu na coluna de Fernando Canzian, na Folha de S.Paulo, na quinta-feira. Em tom de denúncia, o jornalista anunciou que Lula e Dilma "fizeram explodir" o total de funcionários da administração pública federal. A primeira informação é de que os dois contrataram 129.641 servidores concursados, levando o total a 615.621. Este número é grande ou pequeno? Só saberemos comparando-o a outros equivalentes, mas a coluna não faz isso. Parte da premissa, óbvia para o autor, de que sim, são muitos. Eu, Crispiniano Neto, era assessor do diretor da Esam durante o governo FHC, que se pautava pela visão neoliberal. Mas os reitores das universidades federais reclamavam de um déficit de vinte mil professores. Vinte mil. E Lula, além de suprir esse déficit, ainda criou vinte novas universidades e mais de cem campi universitários, além de, seguido por Dilma, construírem mais de 400 institutos federais de educação. Como fazer sem empregar gente, muita gente. Mas não foram contratações partidárias. Foram concursos públicos. Só a Esam, ao transformar-se em Ufersa, passou de um campus para quatro campi, de dois cursos superiores para quase quarenta. De seiscentos alunos para quase dez mil. Como ensinar com qualidade, com duzentos alunos numa sala de aula ou num laboratório? E em cada uma delas, tem que ter um professor, que se reveza de hora em hora. Continuemos nas Notas Curtas:

Vejam na Europa...
Ao confrontar os dados brasileiros com os da OCDE, grupo dos países mais desenvolvidos do mundo e alguns em desenvolvimento, fica bem claro que tratar o número como alto sem refletir sobre seu significado é um equívoco. Em 2013, o emprego no setor público brasileiro (federal, estadual, municipal e em empresas públicas) representava 12,11% do total de empregos, enquanto a média da OCDE era de 21,28%. Acima do Brasil aparecem desde os paraísos do bem-estar social, como Dinamarca (31,89%) e Noruega (31,62%), até países de tradição bem menos estatista, como Reino Unido (23,49%) e Canadá (20,43%).

Qualidade/quantidade
O número de servidores públicos no Brasil está bem abaixo da média existente nos países em que nos espelhamos, mas há os extremamente eficientes com taxas menores que as do Brasil, como Japão (7,94%) e Coreia do Sul (7,6%), assim como há países com taxas pequenas e Estados longe de poderem ser classificados como desenvolvidos, como a Colômbia (4,1%). Da mesma forma, há Estados com taxas significativas de emprego no setor público que prestam serviços ruins a suas populações, como a Hungria (26,84%).

E o cidadão?
A questão, assim, é de qualidade, uma característica que, como os números deixam claro, extrapola o quantitativo do funcionalismo. Vale mais a pena pensar em quem são os funcionários públicos, e qual é seu nível de qualificação, e menos em quantos são eles. Na verdade, os que defendem o Estado “mínimus minimorum” são os que não precisam dos seus serviços, porque têm plano de saúde, têm os filhos em escolas privadas, têm seguranças privados nas suas casas e empresas, carros blindados, podem contratar técnicos para suas fazendas ou empresas e acham que o Estado deve servir somente aos seus interesses escusos.

Patrimonialismo
Aqui por perto são os que estão naquela lista da Assembleia Legislativa com dezenas de funcionários fantasmas que ganham dezenas de milhares de reais sem trabalhar e ainda dão trambique quando têm acesso ao dinheiro; são os que têm suas queridas mamães e titias viúvas de desembargadores e outros marajás recebendo dos cofres de um Estado pobre, como o RN, até 160 mil reais por mês, algo que dá muito mais prejuízo que os bandidos que explodem caixas eletrônicos e ainda os sonegadores de impostos que, em Mossoró, somente um foi flagrado sonegando o equivalente a quase dez escândalos do mensalão.

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Uma mídia que desinforma e deforma

A primeira leitura que precisa ser feita quando se pega um órgão da grande imprensa brasileira é sobre o que não se pode ler nas letras e frases daquilo que está escrito. O mesmo deve se atentar em relação ao que se vê na televisão e ao que se ouve na radiofonia. O que será mesmo que está por trás do que está escrito, do que é dito ou mostrado? A notícia brasileira que mais repercutiu mundo afora na semana passada foi a declaração do doleiro Alberto Youssef de que Aécio Neves, sistematicamente, recebeu propina do Esquema de Furnas e que o dinheiro era repassado através da sua irmã Andrea Neves, saindo pelas mãos de José Janene, compadre do doleiro de quem este era operador. Por mais parcial que seja a mídia, esperava-se, no mínimo, que saísse uma ou outra linha, um outro segundo de rádio ou TV, dizendo que Aécio merecia o benefício da dúvida, que não se podia fazer prejulgamento e que, para que isto ficasse garantido e também restasse garantido o interesse “tão elevado” da mídia brasileira no combate à corrupção, que a denúncia fosse investigada. Até porque simples referências de nomes pelo mesmo doleiro já levaram vários políticos e empresários brasileiros à cadeia, sem choro nem vela. O que se viu foi um silêncio sepulcral. Eliane Cantanhêde, que já se declarou feliz com a presença de uma certa “massa cheirosa” em convenção do PSDB, mostrou-se propositadamente desatenta. Esse eufemismo vai para dizer que, na verdade, ela é cretina e irresponsável como jornalista. Está a serviço do PSDB e dos seus aliados e vive única e exclusivamente para fazer militância política contra o PT na mídia mais suja que o céu já cobriu. Suja e golpista. Marisa Magalhães, tuiteira que segue Cantanhêde, reclamou:
Cantanhêde, cinicamente, respondeu que havia excesso de informações, como se em jornalismo de opinião a gente não tivesse o poder de escolher os pontos de pauta. “Quero falar sobre isso e não sobre aquilo”, como eu faço todo dia, já que sou tão parcial quanto Cantanhêde, mas o sou para defender o lado com que concordo e não o lado a quem esteja vendido como a maioria dos que escondem escândalos bilionários como o do metrô de São Paulo, o da Lista de Furnas, o do HSBC e o dos órgãos de imprensa de Aécio, além do helicóptero de Perrela, do aeroporto do tio de Aécio e do avião de Eduardo Campos. Veja a resposta cretina de Cantanhêde:
Mais duro é saber que no outro dia não saiu. Nem no outro, nem outro e até hoje Marisa espera, como quem espera Godot. Ficará para as calendas gregas... Eliane Cantanhêde, que não esconde suas relações carnais com os tucanos de alta plumagem, não foi o único vexame da mídia nesse caso. No geral, diante do depoimento do mafioso Alberto Youssef, a velha imprensa adotou uma postura vergonhosa. O Jornal Nacional, da TV Globo, simplesmente não mencionou o nome de Aécio Neves e de Sérgio Guerra, o falecido presidente nacional do PSDB. Já o site UOL postou uma notícia com os dois nomes e, logo na sequência, mudou o título da matéria. No geral, os outros veículos seguiram a mesma linha editorial, blindando os dois chefetes tucanos.

Filas de bancos
Anteontem, em Campina Grande (PB), aconteceu algo que não tem perigo de se ver em Mossoró. Quatro agências bancárias foram autuadas por ultrapassar o tempo limite de atendimento aos clientes e poderão ser multadas em até R$ 200 mil por terem descumprido o que determina a Lei da Fila. As autuações foram realizadas pelo Procon municipal, que estabeleceu prazo de 10 dias para que as empresas apresentem defesa na tentativa de evitar a multa.

Filas de bancos II
A lei de Campina Grande determina que não se deixem pessoas esperando nas filas por mais de 35 minutos. No último dia 31, pessoas demoraram até uma hora e meia. A notificação aconteceu, e poderá resultar em multa pesada, se não tiver justificativa – e não terá, porque o motivo todos sabem: é a falta de estrutura de atendimento, visto que os bancos só pensam em lucro.

Filas de bancos III
Em Mossoró, não se verá isso jamais, pois a lei de autoria do vereador Antonio Mota que limitava em 30 minutos as filas em dias normais e 45 minutos em dias anteriores ou posteriores a finais de semana ou feriados foi simplesmente revogada por algum juiz, que atendeu o interesse dos bancos e prejudicou os direitos de milhares de cidadãos.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

A hipocrisia da direita sobre Cuba não tem limites

Amídia golpista e a oposição mais contraditória do mundo batem muito na relação Brasil-Cuba. Desta mídia, quem mais bate é o Sistema Globo de Comunicação. Na oposição, quem mais gosta de praticar o esporte de bater em Cuba são o PSDB e o DEM. Quanto à Globo, o que não é dito, e pouca gente se toca, é que a mesma Rede Globo que pinta Cuba como um inferno exporta novelas para lá desde a década de 1970, ganhando muito dinheiro que, diga-se de passagem, vem recebendo rigorosamente em dia com Raul, assim como recebia com Fidel. Quando vemos as críticas do PSDB e do DEM ao programa Mais Médicos porque a maioria dos profissionais veio da ilha, ficamos bravos com o cinismo dessa gente. Saibam que os primeiros médicos cubanos vieram quando Fernando Henrique Cardoso era presidente da República e José Serra era o ministro da Saúde e os governadores que receberam com muita pompa os tais médicos foram Tasso Jereissati, do Ceará e do PSDB, e Siqueira Campos, do DEM de Tocantins. Naquele tempo, se viu muita louvação entre os partidos que hoje criticam e não se viu uma única crítica na imprensa que hoje vê todos os tipos de assombração no benefício da chegada de mais de 13 mil profissionais da saúde para servir com especialidade em lugares onde pouco ou nunca tinha se visto um médico atuando. O Porto de Mariel é uma negociação que teve início nos tempos de FHC que pousava em fotos históricas, ao lado de Fidel Castro e Hugo Chaves, porque o BNDES estava emprestando dinheiro para Cuba e Venezuela. Era a mesma Cuba, o mesmo Fidel, o mesmo Chaves e o mesmo BNDES e não havia crítica nenhuma, até porque, justiça seja feita, FHC estava certo ao negociar com Cuba e Venezuela, países irmãos e bons pagadores. Além do que, defende o próprio diretor internacional da Fiesp, o porto é de suma importância para a economia brasileira a médio e longo prazos, e, de imediato gera emprego e renda no Brasil, pois é construído por empresas brasileiras. Vão dizer que as empresas construtoras estão sendo investigados na Operação Lava Jato. Então me digam quais as grandes empreiteiras brasileiras que não estão e qual o governo, desde o início da ditadura militar, que formava o grande cartel que hoje se encontra investigado pelo inquisidor Sérgio Moro. Agora, para acabar de tapar a boca desta direita boquirrota e desta mídia cretina, vem a aproximação dos Estados Unidos com a ilha de Fidel. Simplesmente porque é muito bom para os Estados Unidos, ser amigo de Cuba, assim como o é para o Brasil.

Música ao Vivo
O Hiper Queiroz inovou. Música ao vivo enquanto as pessoas fazem compras. Não consegui o nome do artista, mas gostei do seu desempenho e do repertório. Que a ideia não morra no Hiper e se dissemine nos demais supermercados.

Mudança radical
Há menos de quinze anos, no governo de Fernando Henrique, a maioria das doenças que eram tratadas no SUS, tinham como origem a fome e a subnutrição. Depois dos governos Lula e agora no segundo governo Dilma, os maiores problemas de saúde do Brasil são oriundos da obesidade. Doença é doença, mas há que se reconhecer que as origens são bem distintas.

Lula inflável
Queriam ficar levando o bonecão do Lula pelo país inteiro para fazer chacota. Mas eis que uma militante da Juventude Socialista deu-lhe uma facadinha básica e o boneco se escafedeu. Mas deixou um questionamento: quem pagou o boneco por R$ 12 mil? E outro: cadê a nota fiscal? Afinal de contas, houve uma compra. O produto não era caseiro. Só uma coisa explica. O cartaz cretino dizendo que “Sonegação é legítima defesa”, que um dos coxinhas exibia na última passeata a de protesto no dia 16 passado na Avenida Paulista.

FotoLegenda
Como prevemos aqui neste modesto espaço, um novo boneco de Lula está nas ruas. Vestindo uma camisa listrada, mas desta vez de verde e amarelo, com as inscrições “#EuTôVoltando” e “Lula 2010”. Cometeram a maior estultícia que se pode cometer na política. Transformaram Lula, de vilão em vítima. Agora é mão na roda...

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Aécio blindado

Luís Nassif lembra Julio Cortazar, em um de seus contos clássicos, em que ele conta a história da família em que morreu um membro. A avó não podia saber. Esconde-se sua morte. É verdade que ele é velado na sala da casa, enquanto alguém entretém a velhinha em outro cômodo. Mas dali por diante, ele teria que ser incluído nas conversas, como se estivesse vivo. Depois, morre mais um, e morre mais um. E todos recusam continuar vivos nas conversas. Outro contista do fantástico latino-americano, não me lembro se Gabriel Garcia Marques, conta a história da moeda de ouro que caiu na porta de um bar. Como ninguém sabe quem perdeu a moeda, e pode ser o coronel local, a moeda permanece no mesmo lugar por anos a fio. Em alguns momentos, o Brasil lembra o realismo fantástico das republiquetas latino-americanas. Tem-se um cadáver na sala de estar da política: a declaração do doleiro Alberto Youssef de que o senador Aécio Neves recebia US$ 150 mil mensais de Furnas, esquentados através da empresa Bauruense. O procurador geral da República Rodrigo Janot fingiu que não ouviu. E esqueceu-se de que sua gaveta guarda um inquérito de 2010 do MPF do Rio de Janeiro sobre uma conta fantasma de Aécio no paraíso fiscal de Liechtenstein. A notícia foi para o mundo inteiro através da Reuters Internacional. Notícia tão relevante que abriu a chamada das Top News do dia. Foi manchete do Clarin, o mais antikirchenista dos grupos de mídia argentinos. Por aqui, nenhum grande jornal julgou que seus leitores mereciam saber do caso. Não saiu uma mísera linha sobre a delação. Ontem, na sabatina de Janot no Senado, o assunto foi evitado em todas as intervenções, dos senadores da oposição e da situação. O sentimento de corpo foi maior do que as disputas ideológicas. Ou, quem sabe, o medo de expor seus próprios podres tenha sido a razão de preservar os podres do colega. Não é pouca coisa. Trata-se do candidato derrotado nas últimas eleições que recebeu quase 50% dos votos. É o nome favorito do PSDB para as próximas eleições. Continuemos com Nassif nas Notas Curtas:

Carbonário
Nos últimos meses, despontou como um carbonário, bradando em nome da ética e vociferando a palavra “honra” com o fervor de um monge beneditino exposto a alguma tentação demoníaca. Hoje em dia, em qualquer setor responsável, no meio empresarial, intelectual, político nas próprias alas mais consequentes do PSDB, forma-se a convicção sobre a imaturidade e irresponsabilidade de Aécio.

Viralizando
Onde se pretende chegar com essa blindagem, sonegando uma informação crucial em um terreno de ampla abertura das informações? Mais do que o fato em si, a blindagem viralizou, termo que se emprega quando algum tema explode nas redes sociais.

Credibilidade
Nesta quinta-feira será divulgada a próxima etapa da campanha visando reforçar a imagem dos jornais. O diretor-executivo da Associação Nacional dos Jornais (ANJ), Ricardo Pedreira, foi taxativo: “Enquanto a internet ainda sedia terrenos de informação obscura, os jornais colocam à disposição do leitor seu grande patrimônio: a credibilidade”. Qual a sensação do leitor do grande jornal quando encontrar-se com o amigo que prefere a Internet, e souber por ele a notícia que só circulou na rede?

Credibilidade II
Não se trata de questão menor. Quando Fernando Collor caiu, venceu no jogo da credibilidade o único jornal que nada escondeu sobre ele nas eleições.

FotoLegenda
Olha só o desespero do PSDB por filiados e, melhor ainda, o desco-nhecimento de Aécio Neves ou sua equipe, quanto a Minas Gerais, Estado que ele governou por dois mandatos e continua representando como senador. 

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Fátima Bezerra critica postura de Gilmar Mendes e é destaque no site de Paulo Henrique Amorim

Colhi com muita honra, no site Conversa Afiada de PHA, esta matéria sobre o desempenho corajoso da nossa senadora potiguar Fátima Bezerra (PT-RN), durante a sabatina de Rodrigo Janot no Senado: Criticou duramente a postura do ministro Gilmar Mendes, que pede a reanálise das contas do governo Dilma de 2014, já aprovadas pelo tribunal e que tiveram como relator ele próprio, em carne, osso e canalhice. A senadora disse que Gilmar Mendes vem extrapolando suas prerrogativas de agente jurídico e está agindo politicamente em seus julgamentos no Supremo Tribunal Federal e no Tribunal Superior Eleitoral. Fátima defendeu a reputação do vice-procurador da República, Eugênio Aragão, que havia sido acusado por outros parlamentares de atuar com parcialidade. “Se há alguém que age com parcialidade e falta de isenção é o ministro Gilmar. O Brasil inteiro sabe do ódio que ele tem em relação ao PT, mas ele não pode extrapolar sua função por causa disso”, ressaltou. Fátima citou sessão do TSE em que o ministro destratou sua colega, a também ministra Maria Thereza de Assis Moura, após ela ter rejeitado, como relatora, o prosseguimento da ação do PSDB contra a presidenta Dilma por abuso de poder econômico durante a campanha. “Será que o ministro Gilmar perdeu o controle emocional porque a ministra não aceitou as ações impetradas pelos partidos de oposição contra a campanha da presidenta? Ou será que foi porque ela afirmou que técnicos do TSE constataram irregularidades nas prestações de contas do outro candidato?”, ressaltou a parlamentar.

Financiamento de campanhas
No final da sabatina, Fátima voltou a defender o fim do financiamento empresarial de campanha na reforma política e saudou a indicação de Janot pela presidenta Dilma Rousseff. Ela lamentou que o Congresso esteja mantendo a possibilidade do financiamento empresarial, um dos meca-nismos que, na opinião da senadora, mais contribuem para a corrupção no sistema político e eleitoral. “Sinto-me frustrada diante da hipocrisia de membros deste Congresso que são coniventes com a corrupção ao votarem pela manutenção das doações por empresas. Eu e meu partido vamos continuar lutando pelo fim do financiamento empresarial de campanhas. E tenho a esperança de que a sociedade reaja e tenhamos uma reforma política que traga mais ética, mais democracia para nossa política.

Jumentos
Estarei hoje, ao lado da advogada Vânia Diógenes, da OAB, no Plenário 9 da Câmara Federal em Brasília, depondo na CPI que investiga o maltrato aos animais no Brasil. Destaque para o abate de jumentos em Apodi, com a espetacularização inclusive com degustação, projeto despropositado que desconhece o projeto que foi apresentado ao Ministério Público pela Ufersa e que poderia resolver o problema preservando o animal mais importante para a cultura e a História do Nordeste brasileiro.

Pré-julgamento
A Aécio Neves desejo o benefício da dúvida. Não se pode fazer o pré-julgamento decidindo pela sua culpa antes da investigação e do julgamento com amplo direito de de-fesa, mas também de acusação. E quando falo em pré-julgamento, sou contra a condenação prévia, mas também sou contra a absolvição a priori. O benefício da dúvida é um direito que implica na investigação. E esta investigação não sai mesmo diante de denúncias feitas pelo mesmo doleiro cujas acusações, mesmo sem provas e antes das investigações, levaram petistas direto para o xadrez. Será que temos duas legislações diametralmente opostas, em vigência no Brasil?

FotoLegenda
 Está ficando descarada a blindagem de Aécio Neves pela mídia, repetindo a cretinice da Justiça. Depois do depoimento do doleiro Youssef reafirmando pela terceira vez que Aécio recebeu propina do esquema de Furnas, o UOL tirou a matéria do ar. Um internauta mais vivo já tinha fotografado e jogou a rede mundial de computadores e a imagem viralizou causando um estrago milhares de vezes maior que Aécio poderia esperar.